Frida Kahlo – História de Vida

Frida Kahlo

Frida Kahlo

“Me pinto a mí misma, porque soy a quien mejor conozco”

Ousada, apaixonada e irreverente…

Tem as sobrancelhas mais famosas e marcantes do mundo, com certeza você já deve saber de quem eu estou falando né! É dela mesmo, minha gente, da magnifica pintora e ícone feminino Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón, a mais importante pintora mexicana.

Não tem como entender suas obras artísticas sem conhecer um pouco sobre sua vida, as duas estão tão misturadas que não há como separar uma da outra. Estão prontos para mergulhar nessa linda historia de vida?! Se preparem, pois a vida de Frida Kahlo foi cheia de emoções fortíssimas! 

Chega de formalidades e vamos ao que interessa!

A vida de Frida Kahlo

“Pies, ¿para qué los quiero si tengo alas para volar?”

Pra começar, falemos de sua infância. Elas nasceu no dia 6 de de julho de 1907 em uma cidade do México chamada Coyoacán. Os perrengeus da vida começaram bem cedo pra pequena Friducha, suas lutas e dores carnais e emocionais foram suas companheiras até o fim da vida. Com 6 anos de idade nossa Frida pegou poliomielite, e não escapou do bullying (crianças são tão cruéis…), foi chamada de  Frida pata de palo. Com isso ela passou a usar calças de saias longas, o que se tornou uma marca de Frida Kahlo no futuro. Mas o pior mesmo foi o acidente que ela sofreu aos 19 anos, isso marcou a vida dela pra sempre! Esse acidente foi causado por um caminhão que bateu contra o bonde que ela estava. Como podem imaginar o acidente foi feio, e ela ficou gravemente ferida. Frida teve que ser engessada quase que por completo, ficando então deitada por um longo tempo. 

Durante o tratamento e recuperação da linda Frida Kahlo sua mãe colocou um cavalete e tintas para que ela tivesse algo pra fazer. Em cima de sua cama havia um espelho. Bom, imaginem o que quiser, mas acho que foi daí que ela começou a fazer seus retratos ein jejeje. Ela pintava durante hooooras!

Frida Kahlo engessada

O primeiro fruto de suas pinturas foi um Autorretrato em vestido de veludo, (1926), que ela fez para dar a Alejandro Gómez Arias, seu namorado. Segundo a mesma, ela pintava autorretratos pois seu principal modelo era ela mesma. Queria pintar o que via com os olhos.

vestido em veludo

A pomba e o Elefante

Arrisco a dizer que, depois do acidente, Diego Rivera foi o responsável pelas grandes mudanças que aconteceram na vida de Frida Kahlo.

Frida amou com todo seu ser a Diego Rivera, uma historia de amor cheio de defeitos, puladas de cercas de ambas as parte e de idas e vindas, uma relação que tinha tudo para dar errado (e deu), porém que não seria tão esplendorosa se seguisse os modelos tradicionais de relacionamentos. Não dá para esperar uma historia de amor convencional quando se fala da união de duas figuras tão fortes.

Após se recuperar do acidente Frida pegou alguns de seus quadros (e foi vender sua arte na praia) foi mostrar a Diego Rivera, que na época já era muito famoso, e não é que Rivera se encantou pelos quadros dela? É claro que seus olhos se agradaram muito da maravilhosa Frida Kalho.  Eles namoraram e tempos depois se casaram, ela com 21 e ele com 41, diferença de idade gritante, mas o que mais chamava a atenção era a diferença corporal entre eles, ela baixa e magra e ele alto e gordo, por tal motivo eram chamados de a pomba e o elefante.

A pomba e o Elefante

Como eu já tinha avisado pra vocês, as dores de Frida Kahlo estavam apenas começando, aqui vem mais uma pancada da vida: No primeiro ano de casada nossa amada Frida descobre uma traição de Diego, e pra piorar sofre seu primeiro aborto (resultado das sequelas do acidente). Primeira traição e primeiro aborto no primeiro ano de casada, imagina o que não vem por aí?! A partir daí ela começou a temer não poder ter filhos.

“Quizá esperen oír de mí lamentos de ‘lo mucho

que se sufre’ viviendo con un hombre como Diego.

Pero yo no creo que las márgenes de un río

sufran por dejarlo correr”

Apesar da infidelidade de Diego, Frida seguia como uma esposa dedicada, de forma que sempre acompanhava o marido. Dessa forma ela acabou se tornando uma pintora coadjuvante (ah, só naquela época mesmo jajajaja sou muito mais Frida Kahlo! Vai Fridaa) e pintava pra passar o tempo.

Diego foi convidado para pintar murais nos estados Unidos, então eles se mudaram para São Francisco. E de são francisco se mudaram para Nova York onde Diego iria fazer uma exposição. De la foram para Detroit, foi quando Frida engravidou de novo. Ela sempre demonstrou vontade de ser mãe, queria ter um Dieguinho, porém, novamente após uma hemorragia, sofreu o segundo aborto. E com esse novo episódio ela começou começou a pintar sua dor. Ela nos permite ver sua dor, ferida por dentro e por fora.

a cama voadora Frida Kahlo

Diego sempre foi infiel a Frida, apesar das infidelidades, relatos de pessoas que viviam próximo ao casal demonstram que ambos eram muito carinhosos, dedicados um ao outro e se amavam ardentemente.

Depois de anos morando nos Estados Unidos, a pedido de  Frida eles voltaram ao México. Nesse período Frida descobriu que Diego estava tendo um caso com sua irmã Cristina (que irmã ein, que irmã…). Dessa vez ela não resistiu a dor da traição, depois de seis anos se separou pela primeira vez de seu amado. Sofreu muito e mudou, não só de casa como também de aparência. Decepcionada cortou seu cabelo e deixou de usar suas tao famosas roupas mexicanas e dedicou-se a uma nova virtude.

Frida Kahlo

Começou a se relacionar com homens e também mulheres. Seu caso mais famoso nesse período foi com o famoso fotografo Nicolás Muray. Mesmo com tudo isso Frida não esqueceu de Diego (tem mulher que gosta de sofrer né, já não bastava todo o sofrimento da vida…), após quase um ano de separados eles se reconciliaram. Viviam em casas separadas ligadas por uma ponte, o local hoje é o museu Diego Rivera. Voltou a usar suas roupas mexicanas e deixou o cabelo crescer.

“Aunque haya dicho te quiero a muchos, y haya tenido

citas y besado a otros, en el fondo sólo te he amado a ti”

Em meio aos burburinhos políticos, Rivera deu asilo politico a Leon Trotsky e sua esposa Natalia Sedova, eles moraram por dois anos na casa azul. Frida e Leon Trotsky tiveram um curto caso e quando romperam ela o presenteou com um autorretrato.

Opt In Image
Aprenda espanhol 10 vezes mais rápido!
Saiba os segredos dos professores de espanhol que irão te fazer aprender 10, 20, 30 vezes mais rápido!

Nós odiamos spam. Seus dados estão seguros conosco.

Desde que voltou dos estados Unidos Frida se dedicou mais a pintura. Em 1938 ela incluiu 4 obras em uma exposição no México. Suas obras receberam ótimas criticas de especialistas. No mesmo ano, André Breton, pintor surrealista, foi ao México e conheceu as obras de Frida Kahlo, ficou chocado, amou, e no fim ele classificou como surrealismo puro. Frida negava o título de pintora realista, segundo ela, suas pinturas representavam sua própria realidade.

Pouco tempo depois Frida fez uma exposição de sucesso em Nova York, pela primeira vez ela deixou de ser vista como a esposa de Diego Rivera para se tornar uma pintora de prestigio.

De Nova York, Frida partiu para Paris com a promessa de que André Breton faria uma exposição de suas obras. Frida Kahlo sofria de dores cronicas e teve uma forte infecção renal nesse período. A mulher de Breton foi uma das que lhe ajudou no período de sua recuperação, dizem as más línguas que elas tiveram um caso amoroso após sua recuperação.  

Um colega de Breton organizou a exposição de suas obras, outra vez foi um sucesso. Frida Kahlo ganhou status de celebridade e também ditou moda em solo parisiense, usando o vestido Madame Ribera feito pela estilista Elsa Schiaparelli, seus vários anéis que usava e que inspirou Picasso que lhe presenteou um par de brincos em formato de mão.

Sem duvida seu maior exito foi museu do Louvre comprado sua pintura The Frame. Primeira pintura mexicana do acervo.

Frida Kahlo

Frida Kahlo já volta abalando com fama notável na arte vanguardista. Sua vida profissional andava uma maravilha enquanto a vida amorosa um caco. Depois de muitas brigas ela e Diego se divorciam mais uma vez. Novamente Frida corta os cabelos e abandona suas roupas mexicanas. Passa a afogar suas magoas no álcool e a saúde de Frida piora muito. Depois de quase um ano separados os dois se arrependem da separação e Diego pediu a mão de Frida em casamento novamente. Ela se fez de difícil e demorou a lhe dar a resposta. Enquanto se recuperava ela teve um caso, mas enfim, só se fez de difícil mesmo, claro que eles se casaram novamente.

Dai a diante a saúde de Frida só piorou teve infecções, gangrena em um dos pés, sentia muitas dores e vivia a base do uso de analgésicos. Passou a usar coletes por problemas em sua coluna, para ela era um castigo.

A coluna partida Frida Kahlo

Frida Kahlo, famosíssima a nível internacional, mas mesmo assim nunca tinha feito uma exposição notável no México, seu país, acredita?!  Mas em 1953 uma amiga sua resolveu organizar uma exposição. Frida já não podia andar por causa de suas enfermidades. O plano era que ela não saísse de casa, mas ela ousou, foi com a cama e tudo mas foi! Essa é a Frida Kahlo que a gente ama! Êta mulher forte!

Dois meses depois teve sua perna amputada, já frágil tanto corporal como emocional, ficou deprimida.

        “pies, para que los quiero si tengo alas para volar”

Sua ultima obra foi uma natureza morta “Viva la vida” com melancias cortadas que trazem a mensagem Viva la vida, ironia não?!

Viva La Vida

Em 13 de julho de 1954 Frida Kahlo partiu aos 47 anos. A causa da morte foi embolia pulmonar.

“Espero alegre la salida y espero no volver jamás”

Está chegando a Exposição Frida Kahlo – Conexões entre mulheres surrealistas no México! Quer saber o que vai rolar na exposição? Clique aqui e saiba sobre as cidades contempladas com essa maravilha, local e horário!

O que você achou dessa história?! Deixe seu comentário abaixo e curta nossa página no facebook! 

Conheça também mais sobre a cultura dos países hispânicos:

Natal – episódio perdido de chaves

Dia de Reis – episódio perdido de chaves

Música em espanhol

 Espanhol Sem Fronteiras, venha estudar conosco!

Comentários

comentário

Comentários

comentário