Diego Maradona – Rei e escravo

Olá amigos! O assunto de hoje é Don Diego Armando Maradona.

Na tarde de ontem (25/11/2020) recebemos a triste notícia do falecimento do Maradona. Curiosamente nós havíamos postado uma das histórias do Maradona no nosso instagram, a história “la mano de dios”, confere aqui:

Já estávamos programando uma postagem sobre ele, até porque ele é um ícone muito forte para a Argentina. Como vocês sabem, para nós, cultura é algo que nos ajuda muito no aprendizado de linguagens. Vocês também sabem que aqui somos fãs de esportes, e futebol é uma das nossas paixões (inclusive escrevemos sobre isso anteriormente, vê aqui esse post incrível sobre a história do futebol espanhol). Com tudo o que aconteceu decidimos antecipar nosso post.

Desejamos força aos familiares, amigos e fãs. Deixamos a seguir nossa contribuição à história.


História de Diego Maradona

Família humilde

Maradona cresceu em meio a 7 irmãos filhos de uma família muito humilde, onde o pai trabalhava de pedreiro e operário para garantir o sustento. Villa Florito, em Buenos Aires, era o bairro que abrigava essa família. Ele mesmo fazia questão de destacar essa etapa humilde da vida dele, chegou a falar: “Eu cresci em um bairro privado. Privado de luz, de água, de telefone…”. Por esses motivos o povo argentino o considerava um legítimo representante do povo e da alma argentina.

Maradona representando a alma do torcedor argentino kkkk

O futebol entra em sua vida – A era Argentino Juniors

Em meio a todo esse contexto a diversão da garotada eram as peladas de rua, os jogos de bairro! E foi dessa forma que ele chamou a atenção do Argentino Juniors! A história foi a seguinte:

Um amigo de Maradona, Goyo Carrizo, passou em um teste para jogar nas categorias de base do clube, o treinador da equipe o elogiou. Carrizo virou pro técnico e falou: “Pelusa é melhor do que eu” (Pelusa era o apelido de infância por causa dos cabelos longos). Obvio que eles iriam conferir o garoto jogar, não é mesmo?

O grande problema é que Maradona quase não conseguiu autorização e dinheiro pra passarem para ir ao teste. Chegando lá a chuva não deixou que o teste ocorresse. Mas se estamos aqui falando dele é porque Francis Cornejo entrou na parada e resolveu o problema levando o teste para outro campo.

Os avaliadores ficaram embasbacados ao ver El Pibe jogar com apenas 9 anos de idade. Eles tiveram que pedir a identidade dele para a mãe só pra ver se ele realmente tinha 9 anos. O menino mais famoso da favela, Diego Maradona, começou sua história no futebol.

Maradona e Carrizo
Maradona e Carrizo

Francis Cornejo foi fundamental para a carreira de Don Diego, não só por viabilizar o teste, mas por assumir um papel de pai, ele pagava as passagens para o transporte, a alimentação, até as chuteiras ele custeava.

Cornejo e Maradona

Precisamos destacar que o Argentino Juniors era um clube que gostava de descobrir novos talentos, tem um histórico tremendo, pra vocês terem uma ideia eles revelaram nomes como Claudio Borghi, Riquelme, Redondo, Sorín e Cambiasso, por exemplo. 

E o menino era tão bom que mesmo jogando nas categorias de base ele já atraia pequenas multidões para os jogos. Los Cebollitas (apelido do time) chegaram a ficar 136 partidas sem perder, a partida derradeira foi um empate com a derrota decidida nos penaltis, fazendo com que fossem eliminados do Torneio Evita daquele ano. Maradona, inclusive, perdeu um dos pênaltis. O técnico do time adversário, Elías Ganem, o consolou dizendo: “não chore, irmão, você vai ser o melhor do mundo”.  No ano seguinte voltaram a vencer o torneio, como muitas vezes fizeram. Esse time era tão espetacular que chegaram a fazer partidas internacionais, e inclusive foram usados como propaganda no regime peronista, foram citados como bom exemplo de educação esportiva.

Los Cebollitas

A verdade é que os garotos só queriam brincar. Se liga na história:

Maradona e Carrizo ficaram no banco poupados no primeiro tempo de um jogo. O time tomou 1 gol e o jogo foi para intervalo perdendo o jogo. Quando a partida foi retomada após o intervalo os dois entraram e fizeram 6 gols em 15 minutos! Avassalador! Mas o curioso foi que os dois fizeram uma aposta: haviam vacas perto do local do jogo, o objetivo era acertar uma delas. O que aconteceu? Algumas cenas bizarras começaram a acontecer kkkkkkkk. Eles chegavam a driblar o goleiro, ficaram cara a cara com o gol, e chutavam pra longe tentando acertar uma vaca. Quem ganhou? Pelusa, obvio.

Maradona es hincha de Boca!

Ainda pelo Argentino Juniors ele começou a escrever uma história linda com o Boca Juniors:

Maradona sempre foi hincha (torcedor) do Boca. Mas quando uma pessoa se torna profissional de futebol tem que esquecer essas coisas. Foi quando o Argentino enfrentou o Boca. Maradona deu show. Em certo período do jogo, já com a vitória garantida para o Argentino, o técnico decide tirar Maradona do jogo. A torcida do Boca começou a vaiar essa decisão, queriam continuar vendo El Pibe em campo. Aí, laços que já existiam, começaram a ficar mais fortes.

El Pibe
El Pibe

Com 16 anos Maradona subiu as categorias e se estabeleceu na equipe profissional do Argentino Juniors.

Em 1977 ele fez seu primeiro jogo pela seleção argentina em um amistoso contra a Hungría. Ainda muito novo ele já era aclamado para jogar pela camisa da Argentina, porém o técnico não o convocava para os jogos oficiais, ficou de forma da copa de 78 e deu a seguinte declaração: “Poderia ter jogado no mundial de 1978. Estava afinado como nunca. Chorei muito, senti como uma injustiça. (…) Quando se deu a notícia [de que seria cortado] vieram alguns a me consolar: Luque, um grande tipo, o Tolo Gallego… e ninguém mais. Nesse momento eram demasiado grandes para gastar uma palavra com um garoto. (…) O pior foi quando voltei a minha casa. Parecia um velório. Chorava minha velha, meu velho, meus irmãos… esse dia, o mais triste da minha carreira, jurei que iria ter revanche. Foi a maior desilusão da minha vida, me marcou para sempre”.

No ano seguinte ele liderou a seleção sub20 ao título mundial.

Jogando profissionalmente pelo Argentino ele ganhou muitos campeonatos e muitos prêmios individuais também, tais como artilheiro e melhor jogador argentino e sul-americano. Ele continuou sendo um dos melhores, é mais, ele evoluía cada vez mais nessa década de 70 pelo clube. Com tudo isso finalmente o boca iria atrás dele. Aí o coração pegou. O Boca não ganhava um campeonato nacional há algum tempo, e o Argentino vinha bem com ele nos últimos anos. Mas para a realização desse sonho ele foi para o Boca em 1980.

Sonho del pibe – A era Boca

O marketing em torno desse novo Boca iria ser construído com diversas partidas internacionais. O time iria dar liga e iria ser um grande destaque, por isso chamou a atenção de diversos times mundo a fora.

Jogou contra times lendários como por exemplo o Milan lá na Itália (ganharam por 2-1) e contra o Flamengo do Zico no Maraca (perderam por 2-0, esse time do Flamengo foi um dos melhores do mundo da história, tá maluco!). Bom lembrar também que Zico e Maradona tinham uma amizade bonita.

Zico e Maradona em partida entre Boca e Flamengo
Zico e Maradona em partida entre Flamengo e Boca

Uma passagem estranha – A era Barça

Depois do sucesso com o Boca ele passou pelo Barcelona em 1982.

Na seleção argentina ele era incontestável, estava mundialmente conhecido por conta de sua contratação pelo time catalão. Porém a seleção vivia um momento muito festeiro nos bastidores, o que fez com que a seleção fosse eliminada precocemente da Copa do mundo daquele ano.

Maradona pelo Barcelona
Maradona pelo Barcelona

Já no Barcelona ele teve alguns problemas de adaptação, lesão, até doença. Maradona relata em seu livro “Don Diego” que o fator principal para não ter sucesso no barça foi a inveja do presidente do clube. Ele dizia que era inveja de sua popularidade. Ele também revela que foi ali que ele começou seu relacionamento com as drogas. Isso o levou a ficar falido financeiramente, e essa situação o fez aceitar a proposta do Napoli em 1984.

Napoli e Maradona

O Napoli era um time tradicional, porém minúsculo. Era um milagre que um jogador desse calibre fosse para uma equipe como essa. Foi recebido como um rei pela torcida, com toda pompa merecida.

As primeiras temporadas de Maradona com o Napoli já foram muito boas, mas a consagração veio na terceira com o título nacional. Nesse mesmo ano ele se consagrou na copa do mundo com a Seleção Argentina em 1986 (copa que teve a polêmica mão de deus).

Esse ano foi decisivo para Maradona, ele ainda era considerado um malabarista com a bola, não conseguia traduzir seu talento em conquistas pelo Napoli, e pelo Barça ele não teve êxito, seu sucesso na Argentina não era suficiente para levá-lo ao posto de gênio no cenário mundial. Nesse ano ele se consagra campeão mundial pela Argentina e campeão nacional pelo Napoli sendo fundamental para ambas as conquistas. Veja os lances de Maradona pela Copa do Mundo:

O Maradona mudou o patamar do Napoli para sempre. Entretanto seu problemas com as drogas iriam desgastar essa relação. O presidente do Napoli chegou a assumir que eles driblavam o exame antidoping usando urina limpa de outros jogadores. Ele chegou a ser pego no exame na copa do mundo, eu positivo para cocaína. Ficou suspenso por 15 meses, entrou em depressão, entrou na justiça para pedir recisão de contrato com o Napoli.

Maradona pelo Napoli
Maradona pelo Napoli

Seu problema com as drogas ficou escancarado: o positivo no exame, uma ligação com Camorra (máfia italiana) e uma vida regada à escândalos. As drogas trazem vários outros problemas, isso o levou até a ser preso em Buenos Aires.

A decadência eminente

Mesmo com tudo isso ele conseguiu um contrato com o Sevilla em 1992. Seus problemas não o deixaram, as drogas seguiram atrapalhando, e ele foi apenas razoável no time espanhol.

Depois dessa curta passagem pelo Sevilla ele acerta um contrato com o Newell’s Old Boys (time que revelou Messi) em 1994, onde teve uma passagem ainda mais breve, pois uma lesão o tirou de campo. Jogou apenas 5 jogos e alguns amistosos, um deles contra o Vasco.

maradona contra o vasco
Maradona contra o vasco

Com esse declínio tão acentuado Maradona conhece um fisiculturista que o faria emagrecer para que ele jogasse a copa de 1994. Promessa cumprida, porém usando um remédio para emagrecer proibido pela FIFA. O resultado disso foi o positivo no exame antidoping e uma nova punição de 15 meses sem poder jogar. O Maradona diz que na verdade ele havia consultado a FIFA a respeito da substância que ele usaria, e a instituição máxima do futebol havia autorizado. Ele considerou esse doping como uma traição.

Depois da punição ele retorna ao time amado, o Boca. Não teve o sucesso esportivo desejado. Chegaram a disputar bem os campeonatos, mas ele já não era o mesmo, o próprio futebol tinha outras exigências, e todos os problemas com drogas o acompanhavam.

Daqui pra frente ele teve participação como dirigente de clube e até mesmo técnico, porém sem tanto destaque.


O principal legado de Don Diego foi seu desempenho futebolístico, a paixão que despertou pelo esporte e sua magia com a bola. Foi um verdadeiro artista da bola.

A lição que devemos levar para a vida é que as drogas, a bebida e a vida desregrada são capazes de levar um gênio ao fundo do poço. 

Don Diego foi REI e ESCRAVO ao mesmo tempo. Infelizmente ele não foi capaz de sair dessa roubada e deixa esse mundo como um exemplo do que fazer dentro de campo e do que não fazer fora dele. Lembremo-nos de ambas parte de sua vida. Que dentro de campo as futuras gerações possam tê-lo como inspiração. E que sua morte precoce nos mostre mais uma vez que devemos nos conscientizar a respeito das drogas e do abuso do álcool.

Deixo com vocês lances que nos remetem ao melhor de Don Diego Maradona <3


Hoje (26/11/2020) está sendo realizado o velório de El 10. Muitas homenagens foram prestadas, e eu gostaria de publicar algumas delas aqui:



 

 

 

 

 

Comentários

comentário

Comentários

comentário